ISTO.
 

Há pouco mais de dois anos, nasceu uma marca que haveria de colocar Portugal no mapa como sustentáculo para básicos ou essentials simples de qualidade superior, apresentados no mercado com toda a transparência que nos é devida como consumidores. A ISTO. foi criada porque assim teve de ser, assim era necessário para nos trazer de volta à superfície da matéria-prima que vale a pena encostar ao nosso corpo.

_

A little over two years ago, a brand that would put Portugal on the map as a foundation for basics or simple, superior quality essentials, released to the market with all the transparency we are owed as consumers, was born. ISTO. was created because it just had to happen, because it was necessary so we could be brought back to the surface of raw materials that are worth putting against our bodies.

 

isto_7.JPG
isto_22.JPG
 

Foi em 2017 que os três sócios — Pedro Palha, Vasco Mendonça e Pedro Gaspar — lançaram o site e mostraram ao mundo as peças que se tornariam icónicas para a identidade da marca, mais concretamente t-shirts de algodão orgânico trazido da Turquia e produzido na região norte de Portugal, o ex-líbris da indústria têxtil e onde, de facto, faz sentido ir buscar a mão-de-obra tão necessária para as suas edições mais ou menos limitadas e bem pensadas de peças. 

Não há designers propriamente ditos, mas estudos de protótipos entre eles e quem as produz. Acima de tudo, não há intermediários que inevitavelmente encarecem o produto final: «Para venderem ao cliente ou para terem uma loja, a diferença entre o preço final e o preço de produção é grande. Têm aqui uma cadeia gigante, é preciso pagar a toda a gente. O nosso objectivo era vender ao cliente final através da nossa plataforma sem middlemen, ou seja, podíamos colocar no preço de produção só a nossa margem», conta-nos Pedro Palha, com quem conversámos sobre a ISTO.

Apesar de serem os três de backgrounds distintos e nenhum deles ter a experiência dita necessária para algo desta envergadura, seja dentro da área da moda ou da gestão de uma empresa, arriscaram e optaram por seguir um modelo de negócio que lhes era familiar graças a uma outra marca que juntou Pedro Palha e Vasco Mendonça, entre outras coisas, em conversas mais detalhadas sobre uma futura aposta.

It was in 2017 when the three business partners — Pedro Palha, Vasco Mendonça and Pedro Gaspar — launched the website and showed the world the pieces that would become an icon of the brand’s identity, specifically organic cotton t-shirts brought from Turkey and produced in northern Portugal, the pinnacle of the textile industry and where, in fact, it makes sense to go get the skilled labour that is so needed for their more or less limited, well-thought-out editions.

There are no designers per se, but studies of the prototypes between the owners and the producers. Above all, there are no middlemen who inevitably raise the end price. «In order to sell to a customer or having a store, the difference between the end price and the production price is huge. They have to follow a giant supply chain; you’ve got to pay everybody. Our goal was to sell to the customer through our platform with no middlemen involved, that is, to put our margins up on the production cost only», Pedro Palha tells us, whom we spoke with about ISTO.

Although the three of them hold very different backgrounds and none of them had the so-called experience needed to pull off something of this calibre, whether it was in fashion or managing a company, they took a chance and opted to follow a business model that was familiar to them thanks to another brand that actually brought Pedro Palha and Vasco Mendonça closer, among other things, and had them talk about the details involved in such a gamble.

 
 
isto_2.JPG
isto_8.JPG

 

 

 

Independent, porque somos três tipos sem qualquer ligação a investidores ou empresas; Superb, porque todas as peças têm de ter a melhor qualidade possível; Transparent, porque é o nosso modelo de negócio; e Organic, porque os materiais e a sustentabilidade desempenham um papel importantíssimo.

_

Independent, because we’re three guys with no connection to investors or companies; Superb, because all garments have to have the best quality possible; Transparent, because it’s our business model; and Organic, because materials and sustainability play an utterly important role.

 

«Em 2014 ou 2015, estava no México e vi uma empresa de roupa interessante que me chamou a atenção. Já gostava de roupa, sempre me senti atraído por isso como apreciador, mas nunca achei piada a peças com logótipos e coisas assim. Quando vi o modelo de negócio da Everlane, básicos de qualidade com um layer forte de transparência, achei engraçado». Depois disso, entrou para a Uniplaces, onde conheceu o Vasco. Quando saiu da empresa foi exactamente para se dedicar somente ao negócio e perceber como é que poderiam alcançar o que queriam. «Precisávamos de alguém que nos ajudasse a juntar esta ideia e a pô-la visualmente agradável», conta-nos. Foi aqui que entrou Pedro Gaspar entrou, designer que já conhecia Vasco e que depressa conquistou o “outro” Pedro.

Os três juntos trabalharam para alcançar o que pretendiam desde o início: «criar a melhor t-shirt branca do mercado, bem como a melhor camisa». Tudo online, primeiro, com o factor da transparência bem assente, particularmente no preço. O breakdown do valor final de cada peça tornou-se um ponto a favor para a ISTO. e um elemento importante na sua comunicação. Aliás, nada disto seria possível sem chegarmos também ao nome, que «serve de acrónimo para os nossos quatro pilares: Independent, porque somos três tipos sem qualquer ligação a investidores ou empresas; Superb, porque todas as peças têm de ter a melhor qualidade possível; Transparent, porque é o nosso modelo de negócio; e Organic, porque os materiais e a sustentabilidade desempenham um papel importantíssimo».

Depois de apostarem num showroom, que era também o seu escritório, mas de terem percebido também que não estava a funcionar em termos de visitas, decidiram acrescentar um ponto significativo aos objectivos: investir numa loja física. A oportunidade surgiu, finalmente, num dos espaços da Embaixada, no Príncipe Real, e resultou na actual loja da ISTO. em que 80 m2 se impõem como loja de lifestyle e everyday essentials com o complemento das peças de Manuel Amaral Netto e da sua UTIL, bem como a cerâmica da sua mais-que-tudo, Cecile Mestelan. Nos charriots feitos por Manuel encontramos t-shirts de vários tons, camisas (linho, Oxford e flanela), sweatshirts, casacos e um tote bag.

A maioria das peças é para homem, mas gostamos de pensar que qualquer pessoa é livre de usar uma t-shirt ou uma camisa com um corte elegante e fit, feita com materiais de excelência e de uma qualidade superior. Peças que quase falam por si, sem que grande coisa seja preciso para completar os seus vários significados e utilizações.

«In 2014 or 2015, I was in Mexico and saw a pretty interesting fashion company that got my attention. I already liked clothes, I’ve always felt attracted to it as a consumer, but I never fancied clothes with logos and what not. When I saw Everlane’s business model, quality basics with a strong layer of transparency, I found it fascinating». After that, he started working for Uniplaces, where he met Vasco. When he left the company, he went on working solely on the business and trying to understand how they could manage to get where they wanted to get. «We needed someone that would help us putting this idea together and make it visually appealing», he tells us. This was when Pedro Gaspar got into the project, a designer who already knew Vasco and quickly conquered the “other” Pedro’s friendship.

The three of them worked hard to reach what they wanted from the beginning: «to create the best t-shirt in the market, as well as the best shirt». Everything online, at first, with the transparency factor well-settled, particularly the price. The final price’s breakdown of every piece became one of their strongest features and an important element of their communication. In fact, nothing would be possible without getting to the name, which «serves as an acronym for our four pillars: Independent, because we’re three guys with no connection to investors or companies; Superb, because all garments have to have the best quality possible; Transparent, because it’s our business model; and Organic, because materials and sustainability play an utterly important role».

After they invested on a showroom, which was also their office, but realised it wasn’t working as they wanted it to, they decided to add a significant topic to their goals: to invest in a physical store. The opportunity came, at last, in one of the empty spaces at Embaixada, in the Príncipe Real neighbourhood, and resulted in the current ISTO.’s store, in which 80 square meters work to the fullest as a lifestyle and everyday essentials store, complemented by Manuel Amaral Netto’s pieces, owner at UTIL, as well as his wife ceramics, Cecile Mestelan. On the racks built by Manuel we can find t-shirts of different colours, shirts (linen, Oxford and flannel), sweatshirts, jackets and a tote bag.

Most of the garments are made for men, but we like to think that anyone’s free to wear a t-shirt or a shirt with an elegant fit, made with excellent materials and of superior quality. Pieces that speak for themselves, without it being necessary to complete its various meanings and uses». 

 
 
isto_15.JPG
isto_19.JPG
 
 
#collection-550c1227e4b01f5b2b709f0e #page{ max-width:800px !important; }